Visto de residência não lucrativa na Espanha #1

Olá viajantes,

Hoje vou começar uma série de posts sobre nosso processo e obtenção do visto de Residência Não Lucrativa, da Espanha.

Estamos no comecinho e quero dividir com vocês cada passo e cada fase de tudo que viveremos, até nossa partida para a Espanha. Depois, quero continuar com os principais assuntos, que podem ajudar muitos que estão na mesma estrada que a gente.

 

 

Vou fazer este post em formato de perguntas e respostas. Eu mesma pergunto e respondo, mas acho mais fácil de explicar cada tópico separadamente e fica como pesquisa futura a quem se interessar pelo assunto.

Ah, antes de continuar, quero deixar claro que isto aqui é um conteúdo fruto das minhas pesquisas. Não sou advogada de imigração, nem especialista em vistos, nem nada que me faça 100% dona da verdade em relação a tudo aqui. Como disse, estou em fase de preparo e muitas respostas somente terei depois de viver pessoalmente tudo que está por vir.

 

Quem somos nós?

Juliana e Marcelo, temos 34 anos, somos casados há quase 12 e moramos em Goiás, próximo a Brasília. Há anos temos o sonho de morar fora do Brasil por um período maior de tempo, mais que um ano pelo menos.

Ju e Marcelo em Toledo na Espanha
Marcelo e eu em Toledo/2018

Já estivemos por mais de 30 dias seguidos no exterior, no Canadá e Austrália. Mesmo viajando pela Europa por quase quatro meses, como contei aqui, ainda não chegou nem perto da experiência que realmente buscamos.

 

Por que escolhemos a Espanha?

Conhecemos pessoalmente 14 países e somos ávidos leitores e pesquisadores sobre todos os temas que nos interessam. Curiosidades, saúde, viagens, geografia, história, ciências tecnológicas e muitos mais temas. A Espanha se encaixa em vários pré-requisitos nossos, que elaboramos ao longo de 8 anos, que foi desde quando tivemos a certeza que moraríamos fora do Brasil em algum momento.

 

Quais são estes pré-requisitos?

São muitos! Queremos um país que tenha uma economia estável, que tenha moeda forte, que tenha climas bem definidos (pois amamos as estações do ano serem de verdade diferentes umas das outras). Queremos um país que não seja falante da língua portuguesa, pois esperamos por um novo desafio. Queremos um país com uma culinária rica, a gente ama comer! Queremos um país que o inverno não seja inviável, como Rússia ou Canadá, por exemplo. Um país com voos diretos do Brasil, como no caso Brasília/Madrid, pois nossas mães irão nos visitar com frequência e seria melhor que elas não ficassem vagando pelos aeroportos do mundo sozinhas. Não podemos morar em um país com um fuso-horário muito diferente, tipo Austrália ou Nova Zelândia, pois tornaria cansativo trabalhar no fuso Brasileiro (continuaremos trabalhando no Brasil). Queremos um país que tenha uma certa possibilidade de se tornar cidadão, mesmo que seja um processo grande e demorado, mas que haja esse horizonte. Temos vontade de termos uma segunda nacionalidade, e seria maravilhoso ainda que este país fosse um membro da União Europeia.

Muita coisa? Sim! A Espanha se encaixa em todos eles? Simmmm! Então, vamos lá! Espanha escolhida por unanimidade entre nós! haha…

 

Como funciona este visto?

Estou ainda em fase de colher informações de todos os lados. Já tenho alguns canais (o meu favorito é o da Amanda, o Espanha na Real, segue aqui) que sigo no Youtube. Já li e reli a página do Governo Espanhol muitas vezes. Já li blogs e blogs sobre este visto. O visto de Residência Não Lucrativa, é um visto voltado a quem quer morar na Espanha, mas não precisa (e não poderá) trabalhar lá para viver. Ao solicitar o visto, você precisará comprovar que tem meios de se sustentar, e sustentar todos seus dependentes, com dinheiro vindo do Brasil. Você não terá um visto de trabalho, não terá permissão para trabalhar e não poderá fazer uso do Sistema de Saúde Espanhol e nem do Sistema de Seguridade Espanhol, como seria nosso SUS e o nosso INSS.

Na ocasião de solicitação do visto, você deverá entregar todos os documentos que comprovem a situação acima citada. Ou seja, precisará mostrar rendimentos no Brasil, sejam de aplicações financeiras, ou aluguéis, ou empresas, ou negócios, ou aposentadoria, ou pensão, ou herança. Em alguma situação dessas você precisa se encaixar. Além disso, você não poderá ter antecedentes criminais (nos dois países), precisará de um seguro saúde anual e ainda, um atestado médico comprovando que você não tem enfermidades que venham a ser um problema para você mesmo ou para a sociedade.

 

Como funciona o processo do visto em si?

Esta é a parte mais intimidadora pois várias pessoas falam várias coisas diferentes. Para uns, foi fácil, rápido e sem stress. Para outros, demorou muito e o Consulado ligou pedindo mais e mais documentos.

Para uns, o Seguro Saúde teve que ser desde o dia do pedido do visto. Para outros, desde o dia que entrarem na Espanha. Deu para entender? Não há um consenso muito claro, você precisa preparar os documentos e ir bater lá com tudo arrumadinho.

 

Quanto precisamos comprovar para que nosso visto seja concedido?

Esse valor aumenta conforme os anos passam. Este post é de abril/2020 e hoje o valor é de 2.151,36 euros para o solicitante principal e 537,84 euros para cada dependente. Isso mesmo, se você for em um casal e 2 dois filhos, um dos cônjuges e os filhos contam como dependente, não importa a idade. No meu caso, somos duas pessoas, precisaremos comprovar o valor de 2.689,20 euros. Na conversão de hoje, em plena Pandemia de COVID-19, é de aproximadamente R$15.500 reais por mês, com o Euro a quase 6 reais. Esse valor pode ser vezes 12, pois o visto vale por 12 meses. Então, podemos optar por comprovar um valor aproximado de 186 mil reais em valores aplicados, poupança, rendimentos, etc que somem o total estipulado para o visto.

 

Como vamos viver na Espanha, se não podemos trabalhar lá?

Como vocês já puderam ver, precisamos ter meios no Brasil para viver na Espanha. Não poderemos exercer nenhuma atividade laboral lá, então nosso trabalho é e continuará sendo no Brasil. Temos empresas e continuaremos trabalhando nelas, de forma remota, à distância. Por isso o fuso-horário não pode ser tão distante, ou então teríamos que trocar o dia pela noite para podermos trabalhar no Brasil.

 

Onde daremos entrada no visto?

Moramos em Luziânia-GO, pertinho de Brasília. Neste caso, seremos atendidos pela Embaixada da Espanha, em Brasília. Não consegui nenhum vídeo no youtube que tenha sido feito por pessoas de Brasília (se alguém souber, deixa aqui nos comentários). A grande maioria solicita no Consulado de São Paulo e Rio. Há também o Consulado de Porto Alegre e o de Salvador. Pelo que sei, são apenas estes cinco lugares que você pode dar entrada na papelada. Vou colocar o mapa aqui, para você conferir onde é o Consulado que atende ao seu estado, no Brasil. Você não pode escolher, precisa ser o Consulado que atenda a sua região de residência.

 

Como funciona a papelada?

Bom, como eu disse, estou em fase de estudo e ainda por cima, no meio da Pandemia do COVID-19. Eu jamais daria entrada em visto de residência no exterior nestas condições mundiais. Mas, não quer dizer que eu não esteja me preparando e estudando para assim que tudo voltar ao normal, eu entrar com o pedido de visto. Os documentos não são muitos, já disse praticamente todos: passaporte válido por pelo menos 12 meses a contar da data da viagem, plano de saúde, exame médico, comprovante de rendimentos no Brasil, atestado de antecedentes criminais negativo e o formulário específico do visto (que falarei futuramente sobre ele) preenchido. Além da taxa de aproximadamente 70 euros por pessoa, que é paga em dinheiro, na entrada dos papeis na Embaixada.

 

Quanto tempo dura o procedimento e o visto?

Tudo isso acontece muito rapidamente dentro do Consulado/Embaixada. Se tudo tiver dado certo, dentro de 30 dias seu visto estará emitido e você terá até 90 dias para entrar na Espanha. Uma vez na Espanha, você precisará escolher sua cidade, fazer seu registro na “prefeitura” da cidade, dar entrada em sua carteira  de identificação de estrangeiro. A partir deste registro local, você terá 12 meses para morar de forma legal (porém sem exercer atividade remunerada) na Espanha. Após este período, você poderá novamente reunir todos os mesmos documentos e fazer um novo pedido de visto, para mais 12 meses. Desta vez, dentro da Espanha, sem a necessidade de retornar ao Brasil para tal fim.

 

O que a Cidadania Espanhola tem a ver com este visto?

Este visto te concede a moradia na Espanha, de forma legal, por 12 meses. Após tudo isso, você pode renovar por mais 12. Após a soma deles, 24 meses, você poderá dar entrada no seu pedido de nacionalidade. Isso mesmo! NA-CI-O-NA-LI-DA-DE.

Bandeira da Espanha

Demora aí mais uns 12 meses, talvez. Mas se você tramitar corretamente, fizer as provas, os testes, pagar as taxas, você estará pleiteando uma nova Nacionalidade, que depois de concedida, te dará todos os direitos (e deveres) de um Espanhol Nativo. Seus filhos serão espanhóis, seus netos serão espanhóis.

 

Quando iremos para a Espanha?

Como eu disse, ainda estamos começando o processo. A Pandemia deu uma balançada em nossos planos, iremos com calma. Estudando e nos preparando para todos os documentos que precisaremos apostilar e traduzir. Assim que os cartórios reabrirem, iremos tirar 2ª via de certidões como Casamento e Nascimento, refazer nosso RG (que está muito antigo). Nossa CNH e passaportes estão novinhos. Já tenho uma listinha de coisas a fazer e iremos encaixando tudo conforme as coisas forem acontecendo. A ideia é irmos ainda em 2020.

 

Onde iremos morar?

Nossa cidade escolhida, até o momento, é Toledo, ao sul de Madrid. É uma cidade pacata, pequena, que tem uma linda parte histórica mas não é toda “antiga”. Tem um lado moderno, com infraestrutura boa, trem e bus direto para Madrid de hora em hora. Tem um custo de vida muito mais baixo que Madrid, sem estar longe de aeroportos e demais benefícios de cidade grande. “Moramos” em Toledo por 30 dias em 2018 e ficamos apaixonados com a dinâmica da cidade. Vai ser lá nossa próxima morada fora da nossa atual morada 🙂

Marcelo e eu, pausa para a foto num parque na parte nova de Toledo – Espanha

É isso… um super post para quem ia falar apenas do comecinho do processo.

Mas eu não sei escrever post pequeno, sempre fica quase um livro! hahaha…

Ficou alguma dúvida? Posso te ajudar em algo? Eu ficarei muito feliz em ajudá-lo, assim como recebo muitas ajudas dos youtubers e blogueiros dessa vida.

No mais, aguarde os próximos passos desta saga. Bora lá, correr atrás dos nossos planos e nunca deixar de sonhar.

Falamos em breve, beijos!

9 Replies to “Visto de residência não lucrativa na Espanha #1”

  1. Ficou ótimo!
    Acredito que será de grande ajuda para quem tem interesse de passar um tempo fora, e até mesmo para quem não sabe dessa opção de visto de residência não lucrativa, eu mesma não sabia como funcionava!
    Ansiosa para os próximos passos!
    Parabéns e boa sorte nessa jornada!😘

  2. Você é obrigado a ter um plano de saúde anual, mas o pagamento deste tem que ser em uma única parcela ou pode ser mensal? Aqui na Austrália é integral e é uma das coisas que mais pesa no bolso, principalmente pra quem renova por um período longo.

    1. Somos obrigados a ter um Plano de Saúde, mas o pagamento é mensal. Mas o Plano precisa estar em vigor ANTES de você sair do Brasil. O valor para um casal é em torno de 140 euros (abril/2020).
      Se tivéssemos que pagar 12, ou mesmo 24, meses de seguro todo de uma só vez (como na Austrália) seria puxadíssimo.

      Obrigada pelo seu comentário e volte sempre aqui. Abraços.

    1. Bom demais, né? Falta só o Corovirus dar aquela força, e sumir de vez.
      Bora, a vida é muito curta para gente ficar morando muito tempo no mesmo lugar! Espanha nos espera, amigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *